História da Cidade

Fundada no começo do século XVII, em 19 de julho de 1860, a cidade de Barreiros inicialmente era uma aldeia indígena que tinha como líder Filipe Camarão, conhecido por comandar o movimento da Restauração Pernambucana, a partir concessão regia de Portugal começou a ser povoada onde hoje é localizado engenho Benfica. Com os estragos frequentes nas lavouras a comunidade começou a migrar para regiões mais próximas do Rio Una, onde a atividade da pesca e da caça eram mais favoráveis. Eles se situaram em um dos pontos mais elevado da cidade onde hoje fica localizado a Paroquia de São Miguel.

O nome da cidade tem origem da observação dos índios das escavações feitas por porcos da espécie Caititus no barro de coloração avermelhada proeminente na região.

O município inicialmente era chamado São Miguel dos Barreiros, com origem datada em 1786, onde pouco tempo depois o município de Sirinhaém se desmembrou. Nessa mesma época, a paróquia de Barreiros começou a ser construída, em homenagem ao padroeiro do povoado São Miguel Arcanjo, o local funcionou até o ano de 1846. Na ocasião a igreja teve que ser fechada para reparos só voltando a abrir três anos depois.

A partir do século XIX, o crescimento do povoado foi intensificado e Barreiros foi elevado a vila com a Lei Provincial nº 314, nesse período também foi fundada a capela em homenagem a Santo Antônio. Em 13 de maio de 1853, Rio Formoso foi desmembrada do território barreirense, logo depois Água Preta também foi desmembrada e sete anos depois, em 19 de julho de 1860, a vila Barreiros foi reconhecida oficialmente como cidade pela a lei estadual nº 38, de 3 de julho de 1860, que tornou local autônomo.

No ano de 1855, foi criada primeira escola de ensino primário do município que era frequentada apenas por homens. A escola teve como primeiro professor o mestre Tranquilino da Cruz Ribeiro, nomeado pelo presidente da província José da Cunha Figueiredo.  

A partir de 1908, os principais acontecimentos em Barreiros incluem a chegada do trem de ferro e a construção da ponte Estácio Coimbra Una. Estácio Coimbra viveu em Barreiros durante muitos anos, tornou-se prefeito em 1895, foi deputado estadual e federal de 1900 a 1922, governador do estado de Pernambuco e vice-presidente do Brasil no mandato de Artur Bernardes (1922-1926).